Sexta-feira, 31 de Dezembro de 2004

Adeus 2004

O ano que hoje finda foi indubitavelmente marcado pela dor e pela morte.
Logo em Janeiro vimos tombar Miklos Fehér no Estádio do Guimarães. Poucos meses depois, o mesmo drama repetia-se com a morte de Bruno Baião de apenas 18 anos.
Carlos Paredes, o homem que tinha a guitarra na alma; os políticos Sousa Franco e Maria de Lurdes Pintassilgo; os apresentadores de televisão Henrique Mendes e Fialho Gouveia; as escritoras Sophia de Mello Breyner Andersen e Maria Rosa Colaço; o costureiro José Carlos; o diplomata José Calvet de Magalhães; o realizador José Álvaro Morais; o basquetebolista Rui Roxo, de apenas 23 anos. Todos nos deixaram em 2004.
Na vizinha Espanha no dia 11 de Março, os terroristas pela mão da Al-Qeada matam impiedosamente pessoas inocentes, nos atentados nas estações de Atocha, de El Pozo e de Santa Eugenia.
O sequestro na escola de Beslan, na Ossétia do Norte, República Russa do Cáucaso, no início de Setembro, resultou num banho de sangue onde perderam a vida mais de 3 centenas de pessoas, na sua grande maioria crianças.
A Guerra no Iraque, o conflito entre a Palestina e Israel, trazem-nos todos dias notícias de mais atentados mortíferos.
O Maremoto no Oceano Índico devastou o Sudoeste Asiático, arrastando para a morte milhares de pessoas e semeando a destruição e o horror entre as que conseguiram sobreviver à tragédia.
Voltando a Portugal, a eterna guerra sem quartel, travada nas estradas foi mais uma vez fatídica para muitos portugueses, enlutando as suas famílias.

Que no ano que amanhã se inicia, soprem ventos mais brandos um pouco por todo o Planeta.
Guardado por zephira às 17:39
| comentar | ver comentários (3)
Quarta-feira, 29 de Dezembro de 2004

Nada é eterno

"… E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente.
Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros.
Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram.
Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."

in Não te deixarei morrer David Crockett, Miguel Sousa Tavares
Guardado por zephira às 19:40
| comentar | ver comentários (2)
Terça-feira, 28 de Dezembro de 2004

É urgente!

'É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.
É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
É urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor,
É urgente permanecer.'

Eugénio de Andrade
Guardado por zephira às 13:31
| comentar
Segunda-feira, 27 de Dezembro de 2004

Envolve-me!

Diz-me e eu esquecerei.
Ensina-me e eu lembrar-me-ei.
Envolve-me e eu aprenderei!

(Provérbio Chinês)
Guardado por zephira às 14:16
| comentar | ver comentários (2)
Sexta-feira, 24 de Dezembro de 2004

Então é Natal

FelizNatal.gif

'Então é Natal!
E o que você fez?
O ano termina
E nasce outra vez!

Então é Natal!
A festa cristã
Do velho e do novo,
Do amor como um todo!

E então é Natal!
Para o enfermo e para o são,
Para o rico e para o pobre
Num só coração!

Então, bom Natal!
Para o branco e para o negro,
Amarelo e vermelho,
Para a paz, afinal!

Então, bom Natal!
E um Ano Novo também!
Que seja feliz quem
Souber o que é o Bem...'

John Lennon e Yoko Ono
Versão: Cláudio Rabello
Guardado por zephira às 14:19
| comentar
Quinta-feira, 23 de Dezembro de 2004

Ciúme

'O ciúme é a arma dos inseguros e dos que ainda não aprenderam a amar.
A confiança só se adquire com a certeza do amor correspondido.
A confiança e o ciúme são como o dia e a noite. Se um deles reina, o outro não pode existir.
Ame com o coração, mas saiba colocar a razão na frente dos seus pensamentos.'

Iran Ibrahim Jacob
Guardado por zephira às 11:51
| comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 21 de Dezembro de 2004

Não digas nada!

'Não digas nada!
Nem mesmo a verdade…
Há tanta suavidade em nada dizer
E tudo se entender.

Tudo metade
de sentir e de ver...
Não digas nada,
Deixa esquecer!

Talvez que amanhã
Em outra paisagem,
Digas que foi vã
Toda essa viagem.

Até onde se quis
Ser quem me agrada,
Mas ali fui feliz
Não digas nada!'

Fernando Pessoa
Guardado por zephira às 15:03
| comentar
Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2004

Ficas responsável por quem cativaste..

Le petit Prince.GIF
“(…) - Adeus…
- Adeus – despediu-se a raposa. – Agora vou-te contar o tal segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos…
- O essencial é invisível para os olhos – repetiu o principezinho para nunca mais se esquecer.
- Foi o tempo que tu perdeste com a tua rosa que tornou a tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa… - repetiu o principezinho para nunca mais se esquecer.
- Os homens já não lembram desta verdade – disse a raposa. – Mas tu não te deves esquecer dela. Ficas responsável para todo o sempre por aquilo que cativaste. Tu és responsável pela tua rosa…
- Eu sou responsável pela minha rosa… - repetiu o principezinho para nunca mais se esquecer. (…)”

in, O Principezinho, Antoine de Saint-Exupéry
Guardado por zephira às 09:17
| comentar
Sábado, 18 de Dezembro de 2004

Cativar

"(...) - Anda brincar comigo - pediu-lhe o principezinho. - Estou tão triste...
- Não posso brincar contigo - disse a raposa. Ainda ninguém me cativou...
- Ah! Então, desculpa! - disse o principezinho.
Mas pôs-se a pensar, a pensar, e acabou por perguntar:
- «Cativar» quer dizer o quê? (...)
- É uma coisa de que toda a gente se esqueceu - disse a raposa. - Quer dizer «criar laços»…
- Criar laços?
- Sim, laços - disse a raposa - Ora vê: por enquanto tu não és para mim senão um rapazinho perfeitamente igual a cem mil outros rapazinhos. E eu não preciso de ti. E tu também não precisas de mim. Por enquanto eu não sou para ti senão uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um dou outro. Passas a ser único no mundo para mim. E eu também passo a ser única para ti…
- Parece-me que te estou a perceber - disse o principezinho. -Sabes, há uma certa flor... tenho a impressão que ela me cativou. (...)"

in, O Pricipezinho, Antoine de Saint-Exupéry
Guardado por zephira às 16:51
| comentar | ver comentários (3)
Sexta-feira, 17 de Dezembro de 2004

Teu beijo

Teu beijo.bmp
'Ontem,
Quando de mim te despediste,
Naquela sala do "chat",
E me mandaste um beijo,
Eu te perguntei:
– Onde?
Sem querer,
Satisfizeste o meu desejo,
Quando disseste:
– Na tua boca!
Fechei os olhos e imaginei
Tal e qual me falaste.
Bateu forte o coração.
Tua boca, eu nem sabia
Que era assim, tão macia.
E o teu beijo tão molhado,
Demorado,
Fez um estrago em mim.
Ocupou meu pensamento
E eu fiquei todo tempo
Querendo
Outro beijo assim!'

de C. Almeida Stella
Guardado por zephira às 08:55
| comentar | ver comentários (3)
Quinta-feira, 16 de Dezembro de 2004

Contradições

'Vivemos num mundo onde precisamos nos esconder para fazer amor…
… enquanto a violência é praticada em plena luz do dia.'

John Lennon
Guardado por zephira às 22:01
| comentar
Quarta-feira, 15 de Dezembro de 2004

Há pessoas...

'Há pessoas que nos falam  e nem as escutamos;
Há pessoas que nos ferem  e nem cicatrizes deixam;
Mas há pessoas que simplesmente aparecem  em nossa vida e nos marcam para sempre.'

Cecília Meireles  
Guardado por zephira às 21:49
| comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 14 de Dezembro de 2004

Dançar

Bailarina.bmp
'É sentir…
Aquela mão na cintura,
Que não aperta, só segura,
Que envolve e acaricia,
Que desliza e arrepia,
Que o corpo cinge,
E a gente finge,
Que está ausente
E que nada sente...
Mas...
A mente entorpece,
O corpo levita,
O coração grita,
A paixão acontece...
E...
O teu corpo no meu,
Já tudo percorreu,
Já não sei quem sou,
Nem sei para onde vou...
Como eu quero,
Em teus braços estar,
Dançar,
Sonhar.
É Ravel, é o bolero
É sedução,
É paixão,
É amar a dançar,
É morrer de prazer
Sem te chegar a ter...'

(a.d.)
Guardado por zephira às 09:44
| comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 13 de Dezembro de 2004

Fico assim sem você..

'Avião sem asa,
Fogueira sem brasa
Sou eu assim sem você
Futebol sem bola.
Piu-Piu sem frajola
Sou eu assim sem você

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil alto-falantes
Vão poder falar por mim

Amor sem beijinho,
Bochecha sem claudinho
Sou eu assim sem você
Circo sem palhaço,
Namoro sem amasso
Sou eu assim sem você

Tô louca p’ra te ver chegar
Tô louca p’ra te ter nas mãos
Deitar no teu abraço, retomar o pedaço
Que falta no meu coração

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas p’ra poder te ver
Mas o relógio está de mal comigo
Porquê?
Porquêê?

Neném sem chupeta,
Romeu sem Julieta
Sou eu assim sem você
Carro sem estrada,
Queijo sem goiabada
Sou eu assim sem você

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil alto-falantes
Vão poder falar por mim

Eu não existo longe de vê
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver
Mas o relógio tá de mal comigo.'

Adriana Calcanhoto
colunamusica07.gif
Guardado por zephira às 19:54
| comentar | ver comentários (2)
Sexta-feira, 10 de Dezembro de 2004

Fácil / Difícil

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo nos deixa irritados.
Difícil é expressar o nosso amor a alguém que realmente nos conhece, nos entende e nos respeita.
E é assim que perdemos as pessoas mais especiais..
Guardado por zephira às 13:49
| comentar
Quinta-feira, 9 de Dezembro de 2004

Depois de algum tempo

'Depois de algum tempo aprendes a diferença, a subtil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E aprendes que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começas a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. Acabas por aceitar as derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. E aprendes a construir todas as tuas estradas de hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de algum tempo aprendes que o sol queima se te expuseres a ele por muito tempo. Aprendes que não importa o quanto tu te importas, simplesmente porque algumas pessoas não se importam... E aceitas que apesar da bondade que reside numa pessoa, ela poderá ferir-te de vez em quando e precisas perdoá-la por isso. Aprendes que falar pode aliviar dores emocionais. Descobres que se leva anos para se construir a confiança e apenas segundos para destruí-la, e que poderás fazer coisas das quais te arrependerás para o resto da vida.

Aprendes que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que tens na vida, mas quem tens na vida. E
que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprendes que não
temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebes que o teu melhor amigo e tu podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobres que as pessoas com quem tu mais te importas são tiradas da tua vida muito depressa, por isso devemos sempre despedir-nos das pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprendes que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos.

Começas a aprender que não te deves comparar com os outros, mas com o melhor que podes ser. Descobres que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que se quer ser, e que o tempo é curto. Aprendes que, ou controlas os teus actos ou eles te controlarão e que ser flexível nem sempre significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, existem sempre os dois lados.

Aprendes que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer enfrentando as consequências. Aprendes que paciência requer muita prática.
Descobres que algumas vezes a pessoa que esperas que te empurre, quando cais, é uma das poucas que te ajuda a levantar. Aprendes que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que tiveste e o que aprendeste com elas do que com quantos aniversários já comemoraste. Aprendes que há mais dos teus pais em ti do que supunhas.

Aprendes que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são disparates, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprendes que quando estás com raiva tens o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobres que só porque alguém não te ama da forma que desejas, não significa que esse alguém não te ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprendes que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes tens que aprender a perdoar-te a ti mesmo. Aprendes que com a mesma severidade com que julgas, poderás ser em algum momento condenado.

Aprendes que não importa em quantos pedaços o teu coração foi partido, o mundo não pára para que tu o consertes. Aprendes que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto, planta o teu jardim e decora a tua alma, ao invés de esperares que alguém te traga flores. E aprendes que realmente podes suportar mais... que és realmente forte, e que podes ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que tu tens valor diante da vida!

As nossas dádivas são traidoras e fazem-nos perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.'

William Shakespeare
Guardado por zephira às 17:38
| comentar
Terça-feira, 7 de Dezembro de 2004

Hoje

'Só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito.
Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto, hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.'

Dalai Lama
Guardado por zephira às 00:08
| comentar
Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2004

Palavras

'São as palavras...
Como estrelas, espadas ou, flores.
São brinquedos as palavras.
Palavras são palavras.
Elas têm raízes, misérias e sépalas.
Tem espinhos, carinhos e pétalas.
São leves, ásperas ou, escorregadias.
São bonitas, cheias de cores.
Curam qualquer tristeza, muitas dores.
Gravadas por amores.
Para senti-las basta um vento...
Em uma aura clara.
Que até molham quando afagam,
num dado tempo ou num, momento,
silenciosas invadem o pensamento.
Vão seguindo como pássaros...
Soltas, leves pelo mundo e pelo espaço.
Às vezes absurdas, sem destino,
Promovem rubores e um desalinho.
Em tempo, vão encontrando um caminho.'

Adriana Zapparoli
Guardado por zephira às 22:20
| comentar | ver comentários (1)
Hoje  é 

'Cada palavra é uma semente' - S. Tamaro



Pele - Pólo Norte

Agosto 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
24
25
26
27
28
29
30
31

Palavras Recentes

Sonho

Recomeçar

Um dia

Para ser grande sê inteir...

Scent of a woman

Feliz Natal

É a vida...

...

Perdoar

...

Palavras Passadas

Agosto 2013

Junho 2012

Abril 2008

Março 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

blogs SAPO

subscrever feeds