Terça-feira, 29 de Março de 2005

Não me mintas

'Eu queria unir as pedras desavindas
Escoras do meu mundo movediço.
Aquelas duas pedras, perfeitas e lindas
Das quais eu nasci forte e inteiriço.

Eu queria ter amarra nesse cais
Para quando o mar ameaça a minha proa
E queria vencer todos os vendavais
Que se erguem quando o diabo se assoa.

Tu querias perceber os pássaros,
Voar como o Jardel sobre os centrais.
Saber por que dão seda os casulos,
Mas isso já eram sonhos a mais...

Conta-me os teus truques e fintas,
Será que os Nike's fazem voar?
Diz-me o que sabes e não me mintas,
Ao menos em ti posso confiar!

Agora diz-me o que aprendeste,
De tanto saltar muros e fronteiras.
Olha para mim e vê como cresceste,
Com a força bruta das trepadeiras.

Põe aqui a mão, sente o deserto,
Cheio de culpas que não são minhas
E ainda que nada à volta bata certo
Juro ganhar o jogo sem espinhas.'

Carlos Tê / Rui Veloso
colunamusica07.gif
Guardado por zephira às 16:35
| comentar | ver comentários (3)
Segunda-feira, 28 de Março de 2005

Esta noite

nightmoon.jpg
'Onde estiveres, eu estou
Onde tu fores, eu vou
Se tu quiseres assim
Meu corpo é o teu mundo
E um beijo um segundo
És parte de mim

Para onde olhares, eu corro
Se me faltares, eu morro
Quando vieres, distante
Soltam-se amarras
E tocam guitarras
Por ti, como dantes

Agarra-me esta noite
Sente o tempo que eu perdi
Agarra-me esta noite
Que amanhã não estou aqui.'

Pedro Abrunhosa
colunamusica07.gif
Guardado por zephira às 23:16
| comentar
Sexta-feira, 25 de Março de 2005

Ausência

ausencia.png
'Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
Que rio e danço e invento exclamações alegres,
Porque a ausência, essa ausência assimilada,
Ninguém a rouba mais de mim.'

Carlos Drummond de Andrade
Guardado por zephira às 17:24
| comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 24 de Março de 2005

Morre lentamente...

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê,
Quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio.
Quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito,
Repetindo todos os dias os mesmos trajectos.
Quem não muda de marca, não se arrisca a vestir,
Uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.
Morre lentamente quem evita uma paixão,
Quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os "is",
Em detrimento de um redemoinho de emoções
Justamente as que resgatam o brilho dos olhos,
Sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa
Quando está infeliz com o seu trabalho,
Quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho,
Quem não se permite pelo menos uma vez na vida
Fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias
Queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.
Morre lentamente, quem abandona um projecto antes de iniciá-lo,
Não pergunta sobre um assunto que desconhece,
Ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves,
Recordando sempre que estar vivo exige um esforço!
Muito maior que o simples facto de respirar.
Somente a perseverança fará com que conquistemos um
Estágio esplêndido de felicidade.

Pablo Neruda
Guardado por zephira às 22:55
| comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 22 de Março de 2005

Intensamente vivi

'Intensamente vivi
O momento presente,
Desfrutei as belezas da vida,
Superei as eventuais dores,
Deixei as marcas em mil corações,

Parti para o destino de todos,
Mas...
Ninguém morre enquanto
Vive no coração de alguém.

Voei pelas constelações,
E minha estrela sempre
Brilhará
Aqui e em toda parte do mundo.'

Mariano Vicente Filho
Guardado por zephira às 20:59
| comentar | ver comentários (4)
Sábado, 19 de Março de 2005

Lume

'Vai caminhando desamarrado
Dos nós e laços que o mundo faz
Vai abraçando desenleado
De outros abraços que a vida dá

Vai-te encontrando na água e no lume
Na terra quente até perder
O medo, o medo levanta muros
E ergue bandeiras pra nos deter

Não percas tempo,
O tempo corre
Só quando dói é devagar
E dá-te ao vento
Como um veleiro
Solto no mais alto mar

Liberta o grito que trazes dentro
E a coragem e o amor
Mesmo que seja só um momento
Mesmo que traga alguma dor
Só isso faz brilhar o lume
Que hás-de levar até ao fim
E esse lume já ninguém pode
Nunca apagar dentro de ti.'

Mafalda Veiga
Guardado por zephira às 20:17
| comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 16 de Março de 2005

Muda de vida

'Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida não deves viver contrafeito
Muda de vida se a vida em ti é de outro jeito

Ver-te sorrir, eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será de ti ou pensas que tens…
que ser assim

Olha que a vida não, não é nem deve ser
Como um castigo que tu terás de viver.'

Humanos

Pode ouvir esta música aqui.
Guardado por zephira às 20:42
| comentar | ver comentários (1)
Quinta-feira, 10 de Março de 2005

Há palavras que nos beijam

'Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto;
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.'

Alexandre O'Neill
Guardado por zephira às 23:18
| comentar
Quarta-feira, 9 de Março de 2005

Noite

'De palavra em palavra
A noite sobe
Aos ramos mais altos
E canta
O êxtase do dia.'

Eugénio de Andrade
Guardado por zephira às 20:15
| comentar
Terça-feira, 8 de Março de 2005

Dia Internacional da Mulher

Neste dia, do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declarara um incêndio, e cerca de 130 mulheres morreram queimadas. Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher". De então para cá o movimento a favor da emancipação da mulher tem tomado forma, tanto em Portugal como no resto do mundo.
Pretende-se chamar a atenção para o papel e a dignidade da mulher e levar a uma tomada de consciência do valor da pessoa, perceber o seu papel na sociedade, contestar e rever preconceitos e limitações que vêm sendo impostos à mulher.
Guardado por zephira às 22:57
| comentar
Segunda-feira, 7 de Março de 2005

Palavras

'As palavras não devem ser senão a roupa, rigorosamente sob medida, do pensamento' Jules Renard
Guardado por zephira às 18:09
| comentar
Domingo, 6 de Março de 2005

Soneto do cativo

'Se é sem dúvida Amor esta explosão
De tantas sensações contraditórias;
A sórdida mistura das memórias
Tão longe da verdade e da invenção;

O espelho deformante; a profusão
De frases insensatas, incensórias;
A cúmplice partilha nas histórias
Do que outros dirão ou não dirão;

Se é sem dúvida Amor a cobardia
De buscar nos lençóis a mais sombria
Razão de encantamento e de desprezo;

Não há dúvida, Amor, que te não fujo
E que, por ti, tão cego, surdo e sujo,
Tenho vivido eternamente preso!'

David Mourão Ferreira,
Os Quatro Cantos do Tempo
Guardado por zephira às 23:07
| comentar
Quinta-feira, 3 de Março de 2005

Diálogos

'Ninguém educa ninguém.
Ninguém se educa sozinho.
Os homens se educam juntos, na transformação do mundo.
Não é no silêncio que os homens se fazem,
Mas na palavra, no trabalho, na ação/reflexão.'

Paulo Freire
Guardado por zephira às 19:05
| comentar
Hoje  é 

'Cada palavra é uma semente' - S. Tamaro



Pele - Pólo Norte

Agosto 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
24
25
26
27
28
29
30
31

Palavras Recentes

Sonho

Recomeçar

Um dia

Para ser grande sê inteir...

Scent of a woman

Feliz Natal

É a vida...

...

Perdoar

...

Palavras Passadas

Agosto 2013

Junho 2012

Abril 2008

Março 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

blogs SAPO

subscrever feeds